Primeira cidade flutuante do mundo vai nascer na Coreia do Sul

A UN-Habitat e a empresa de tecnologia OCEANIX revelaram o projeto do primeiro protótipo do mundo para uma cidade flutuante sustentável, a ser localizada em Busan, na Coreia do Sul. O projecto pretende fornecer uma estrutura escalável de desenvolvimento para cidades costeiras que enfrentam escassez de terra e um aumento do nível do mar devido às mudanças climáticas.

Marrocos é líder em centrais de energia limpa em África

Marrocos lidera os países do continente africano em termos de centrais de energia limpa, juntamente com o Egipto e a África do Sul. África possui algumas das maiores centrais de energia limpa do mundo devido ao seu enorme potencial em termos de fontes de energia renováveis, como a solar, a eólica e as centrais hidroeléctricas.

“Contágios”: um livro que conta com a participação de 65 autores lusófonos

“Contágios“: um livro que conta com a participação de 65 autores lusófonos ARTE & CULTURA Partilhar72WhatsAppTweetarPartilhar72 Partilhas Quando os escritores portugueses, Gabriela Ruivo Trindade e Nuno Gomes Garcia, ambos emigrantes, ela em Londres e ele em Paris, começaram o projeto Mapas do Confinamento (ver aqui), não imaginavam que, um ano depois, este “exercício de memória…

District Hive: mini-hotéis móveis prontos a instalar em qualquer lugar

A Distric Hive desenvolve alojamentos de luxo autossustentáveis, controlados por inteligência artificial e geridos através de uma aplicação. Baptizado Colony, este mini-hotel pode ser facilmente transportado e instalado em qualquer lugar. Os principais alvos são localizações e paisagens únicas, que até agora não estavam disponíveis para turismo.

Os trabalhadores da indústria da desinformação no Sul Global

Jonathan Corpus Ong professor associado da University of Massachusetts Amherst e pesquisador do Shorenstein Center da Harvard Kennedy School, onde lidera o projeto de pesquisa “True Costs of Misinformation”. publicou recentemente um estudo intitulado “Toward a worker-centered analysis in fighting disinformation: Global South Perspectives” que resulta de uma investigação nas Filipinas e nos países do Sudoeste Asiático. A pesquisa, orientada para os “moderadores de conteúdos” e as “fábrias de trolls”, entre outros aspectos, é revelador de como a “mística ” solar criada pelas Big Tech em torno do mundo digital obscurece um “lado negro” de exploração selvagem do trabalho humano nele envolvido