Tecnologias de vigilância: Turbulência no século XXI 1/6

A evolução tecnológica tem facilitado a criação de sociedades vigiadas. Começou com o ataque de 2001 às torres do World Trade Center em Nova Iorque (EUA), continuou com diferentes intervenções de ataques sistemáticos a civis, foi acompanhada por uma crise financeira que acentuou a desproporção entre ricos e pobres, e continuou com o clima e as pandemias de Covid-19.

Marrocos é líder em centrais de energia limpa em África

Marrocos lidera os países do continente africano em termos de centrais de energia limpa, juntamente com o Egipto e a África do Sul. África possui algumas das maiores centrais de energia limpa do mundo devido ao seu enorme potencial em termos de fontes de energia renováveis, como a solar, a eólica e as centrais hidroeléctricas.

Os trabalhadores da indústria da desinformação no Sul Global

Jonathan Corpus Ong professor associado da University of Massachusetts Amherst e pesquisador do Shorenstein Center da Harvard Kennedy School, onde lidera o projeto de pesquisa “True Costs of Misinformation”. publicou recentemente um estudo intitulado “Toward a worker-centered analysis in fighting disinformation: Global South Perspectives” que resulta de uma investigação nas Filipinas e nos países do Sudoeste Asiático. A pesquisa, orientada para os “moderadores de conteúdos” e as “fábrias de trolls”, entre outros aspectos, é revelador de como a “mística ” solar criada pelas Big Tech em torno do mundo digital obscurece um “lado negro” de exploração selvagem do trabalho humano nele envolvido

Estufas agrícolas com “visão aumentada”

A start-up Iunu desenvolveu um software com inteligência artificial que integra em robôs que fazem a monitorização remota de estufas agrícolas. Esta visão em tempo real permite a rápida identificação de áreas da plantação que necessitam de tratamento. Os agricultores podem assinalar essas áreas e notificar os colaboradores para fazerem a verificação no terreno