“Tectonik TOMBWA – música para acrux e toha”, espectáculo multimédia de Victor Gama apresentado pela primeira vez em Moçambique no MFF 2021

Neste espectáculo Victor Gama desenvolve uma paleta sonora construída a partir de elementos percussivos e arpejos de cordas que fecham um círculo entre a música de gamelão indonésio e compositores contemporâneos como Francis Bebey, Steve Reich ou Erik Satie. Tocando os instrumentos acústicos que constrói, os Pangeia Instrumentos, Gama explora as fronteiras entre elementos folk tradicionais, electrónica e música improvisada. O espectáculo terá lugar a 9 de Novembro, pelas 18h, no Teatro Scala, em Maputo.

Oradores de Moçambique, Senegal, Serra Leoa, Sudão do Sul, Brasil, Portugal, Áustria e Lituânia participam na Conferência MFF 2021

Participam na conferência: Felwine Sarr (Senegal), Mia Couto (Moçambique), José Castiano (Moçambique), Renato Sztutman (Brasil), Manuel Bogalheiro (Portugal), Jessemusse Cacinda (Moçambique), Inês Marques (Portugal), Karine Freire (Brasil), Mélio Tinga (Moçambique), Patrice Naiambana (Serra Leoa/Reino Unido), Anyieth Akwool (Sudão do Sul), Tassiana Tomé (Moçambique),  Alyne Costa (Brasil), Rita Palma (Portugal), Michael Mastrototaro (Áustria), Kotryna Tribusinaite (Lituânia), Evaro Abreu (Moçambique), Taís Koshino (Brasil), Lurdes Macedo (Portugal), Fred Paulino (Brasil) e João Roxo (Moçambique).

Felwine Sarr e Mia Couto: convidados de honra da conferência internacional do MFF 2021

O economista, professor e escritor senegalês Felwine Sarr e o escritor moçambicano Mia Couto vão conversar sobre as diversas questões suscitadas pela proposta temática desta edição do festival na sessão de abertura da conferência internacional, incluída no programa do festival. Para além deles, a conferência contará ainda com a presença de 20 participantes provenientes de Moçambique, Serra Leoa, Sudão do Sul, Brasil, Portugal, Áustria e Lituânia.

Luamba Muinga e Sara Carneiro reflectem sobre a residência artística Luso-Linkup e a publicação “Não somos nós que fazemos história?”

Em entrevista conduzida por Eduardo Quive, os curadores Luamba Muinga e Sara Carneiro debatem o projecto que contou com a participação dos artistas Helena Uambembe, Lizette Chirrime, Luis Santos, Marilú Mapengo Námoda, Rui Assubuji, Teresa Kutala Firmino, Yonamine e textos de José Luis Mendonça, Tavares Cebola, Luamba Muinga e Sara Carneiro.

Wikipédia vai ter artigos escritos em língua Emakhuwa do Centro e Norte de Moçambique

A iniciativa Wikpedia Emakhuwa, implementada pela Ethale Publishing, vai colocar uma língua falada por cerca de sete milhões de pessoas em Moçambique – sobretudo nas províncias da Zambézia, Nampula e Cabo Delgado – numa página oficial que já está disponível para consultas na enciclopédia livre. O Emakhuwa, é a principal língua em Moçambique depois do Português.